Dados: Prioridade na transformação digital das empresas
24 de julho de 2018
0

Com o comportamento cada vez mais imediatista dos consumidores, apoiado por um novo modo de consumir entretenimento e mídia, as empresas têm repensado frequentemente suas estratégias de comunicação. Porém, ainda há um longo caminho a se percorrer.

Um estudo recém elaborado pelo Google em parceria com a Boston Consulting Group (BCG) avaliou a maturidade das 60 principais companhias do Brasil em relação ao Data Driven Marketing e as classificou em quatro estágios: Nascente, Emergente, Conectado e Multimomento.

Como já era esperado, mais da metade das empresas consultadas (55%) ainda está no estado “Emergente”, ou seja, faz algum uso de dados em campanhas e compra mídia programática com otimização, além de compará-los com outros tipos de mídia. Por outro lado, 37% já está no estado conectado, recorrendo a dados integrados e ativados ao longo de múltiplos canais de mídia com clara conexão a ROI (Retorno sobre Investimento) e resultado de vendas.

Nos extremos, poucas das empresas entrevistadas se encaixaram nos estados Nascente (6%) e Multimomento (2%), o que prova que não estamos nem em um estágio inicial, utilizando dados de terceiros e mídia direta, nem em um estágio mais maduro, em que há execução dinâmica, otimizada e personalizada para cada cliente ao longo de todos os canais de mídia.

Apesar de ser um caminho complexo e que envolve diversas áreas, tecnologias e estratégias de negócios, sair do estágio nascente para o multimomento, além de criar vantagem competitiva, pode ter um impacto competitivo de até 20% nas receitas e ganhos de até 30% em eficiência.

Mais do que apenas investir em ferramentas para a captação e tratamento de dados, colocar em prática uma estratégia de Data Driven Marketing é controlar o modo como são usadas as informações coletadas. Ao começar a compreender o perfil comportamental ou demográfico da sua audiência, sabe-se em qual fase de relacionamento com a marca o consumidor está e, então, podemos definir facilmente qual decisão tomar.

Buscar por tecnologias e serviços que ajudem a estabelecer uma visão única do cliente é o primeiro passo para executar com maestria a habilidade de personalização e automação na entrega de mensagens.

Essa criação de valor acerca do cliente a partir dos dados – por meio do Data Driven Marketing – o eleva como ponto central dos próximos passos que impulsionarão os negócios, para que a transformação digital não seja apenas vantagem das chamadas empresas “nativas digitais”, mas parte intrínseca de todos os negócios.

Deixe uma resposta